Comunicado à comunidade, artistas, produtores e demais participantes do Edital Programação Cultural do Max 2021

Atualização sobre o processo de seleção de projetos que irão compor a Programação Cultural do Centro Max Feffer

Com a não renovação do Termo de Fomento entre Prefeitura de Pardinho e o Instituto Jatobás, gestor do Centro Max Feffer Cultura e Sustentabilidade, a seleção de projetos 2021 para compor a programação do Max precisou ser revista, conforme ajustes do novo orçamento. Tivemos que nos reestruturar para dar continuidade ao atendimento à comunidade. Mesmo o Centro Max Feffer sendo um equipamento do município e sem contar com o apoio financeiro da prefeitura, conseguimos manter a operação e adequar o modelo de gestão para atender os artistas e os produtores, via edital. 

Para melhor entendimento, no final de 2020, o Instituto Jatobás e o Centro Max Feffer Cultura e Sustentabilidade iniciaram um processo para fomentar projetos da região para comporem a Programação Cultural presencial e online do Centro de Cultura.

Tudo começou com uma pesquisa lançada no dia 4 de dezembro, em que a comunidade de Pardinho e região foi ouvida em relação ao que gostariam de participar e presenciar no Max. Ao todo, foram recebidas mais de 400 respostas que nortearam as diretrizes para a nova programação.

O segundo passo foi estruturar um edital de chamamento público, criado com base nos critérios levantados na pesquisa, que fosse democrático e participativo na formação da programação de 2021. Lançado em 24 de dezembro, o edital recebeu mais de 300 propostas nos eixos de cultura raiz, artes (dança, circo, teatro, música etc.), bem-estar e biblioteca.

Criada Comissão de Avaliação Externa para seleção das propostas.

Com o objetivo de formar uma programação plural e qualificada, foi formada uma Comissão de Avaliação Técnica, composta por renomados especialistas e um representante da comunidade de Pardinho.

Todos foram escolhidos levando-se em consideração o currículo e a comprovação técnica em suas áreas de atuação. Esse olhar de fora foi considerado importante para que a seleção fosse 100% qualitativa e os projetos avaliados segundo critérios técnicos.

A comissão foi formada por:

  • Artes: Felipe Tenório (bacharel em educação artística e licenciado em artes visuais com ampla experiência em programação cultural de centros de cultura paulistas e em projetos de arte-educação)
  • Cultura Raiz: Ruth Rubbo (produtora cultural com forte atuação em projetos voltados ao folclore e à cultura caipira paulista)
  • Música: Zeca Collares (músico, compositor, instrumentista, professor de música no renomado Conservatório de Tatuí e bacharel em cinema)
  • Biblioteca: Maraléia Menezes (graduada em biblioteconomia, licenciatura em Letras e especialização em psicopedagogia institucional)
  • Bem-Estar: Madalena Cabral (especialista em psicologia clínica e social)
  • Comunidade Pardinho: Carlos Lima (cantor, compositor, músico e produtor musical)

Para selecionar os projetos e compor a programação 2021, os critérios de avaliação adotados foram:

  • Qualidade e relevância artística e cultural;
  • Potencial de impacto no cenário cultural e na formação de público;
  • Qualificação dos artistas e equipe técnica;
  • Viabilidade de implementação.

O objetivo do Instituto Jatobás era compor uma programação levando em consideração a ampliação de repertório, a formação de público e a capacitação com caráter educativo, que são as mesmas diretrizes da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

A Comissão se reuniu em uma oficina de trabalho no dia 6 de fevereiro de 2021 e, conjuntamente, seus integrantes fizeram a curadoria dos projetos que irão compor a programação deste ano, tanto presencial como online. Como a qualidade das propostas recebidas foi em geral de altíssima qualidade, escolher os melhores foi uma tarefa desafiadora, mas o trabalho em equipe permitiu que essa empreitada fosse realizada com sucesso! Isso comprova o potencial artístico e criativo dos profissionais da região.

Assista ao vídeo e confirme como foi a seleção.

Mudança do plano orçamentário

O orçamento 2021 do Centro Max Feffer levava em consideração a planilha orçamentária entregue à Prefeitura de Pardinho, em novembro de 2020, referente à renovação do Termo de Fomento. Durante os meses de janeiro a março de 2021, o Instituto Jatobás, gestor do Max, aguardava a aprovação da renovação do Termo de Fomento, fato que não ocorreu.

Diante das incertezas, o Instituto Jatobás comunicou e divulgou uma primeira lista no dia 15 de fevereiro, para atender à programação do Centro nos meses de março e abril. Levando em consideração a reestruturação orçamentária e também, às diretrizes do Governo do Estado de São Paulo pertinentes à pandemia de Covid-19, foi necessário mais tempo do que imaginávamos e, por isso, estendemos o edital até junho de 2022.

O Instituto Jatobás e o Centro Max Feffer se preparam para divulgar agora, no dia 17 de abril,  os nomes selecionados que irão compor a programação de maio de 2021 a junho de 2022. O prazo foi prorrogado e novos projetos puderam ser incluídos. 

Desta forma, como parte de todo o processo, tivemos que lidar com a complexidade e incertezas do momento, mas sem perder o horizonte do nosso papel junto à comunidade e ao fomento do trabalho de artistas e produtores da região.

Não perca a divulgação em nossas redes sociais!  

+3
X